O estranho caso das falsas bananas assassinas

Hoje em dia circulam pelas caixas de e-mail as coisas mais estranhas. Enquanto alguns textos são facilmente recebidos com descrédito, outros deixam-nos hesitantes quanto à sua veracidade. É um texto desses que irei analisar hoje.

Nota introdutória: A informação contida neste texto que recebi não merece credibilidade, como iremos ver (o negrito é da minha autoria, para salientar os pontos que irei focar).

  Bananas no supermercado (600x900)

O que dizia o e-mail:

 ALERTA À SAUDE!

 Por favor, não comam bananas nas próximas três semanas!

Várias entregas de bananas de Uvongo Kwa-Zulu Natal (África do Sul) foram infectadas com fasceíte necrosante, também conhecida como bactéria carnívora. Recentemente esta doença dizimou a população de macacos no litoral sul. Estamos agora começando a aprender que a doença tem sido capaz de enxertar-se à pele de frutas na região, principalmente a banana que é uma das maiores exportações do sul da África. Até esta descoberta os cientistas não tinham certeza de como a infecção estava sendo transmitida. É aconselhável não comprar bananas para as próximas três semanas! Se você tiver comido uma banana nos últimos 2-3 dias e tiver febre seguida por uma infecção da pele procure ajuda médica!

A infecção da pele de fasceíte necrotizante é muito dolorosa e come dois a três centímetros de carne por hora. A amputação é provável, a morte é possível… Se você for a um centro médico é aconselhado queimar a carne à frente da área infectada para ajudar a diminuir a propagação da infecção. A FDA tem sido relutante em emitir uma advertência em todo o país por causa do medo de um pânico nacional.

Eles secretamente admitiram que sentem que mais de 15 mil sul-africanos serão afetados por isso, mas que estes são “número aceitáveis“. Por favor, envie isto para o maior número de pessoas quanto possível.

  

O que é a Fasceíte Necrosante?

É uma infecção bacteriana rara, mas severa. A palavra necrosante remete para algo que destrói os tecidos. Várias bactérias podem causar esta doença, sendo a mais perigosa a Streptococcus pyogenes. A infecção tem início quando a bactéria invade o corpo, normalmente através de um corte ou ferida, e à medida que cresce liberta toxinas que destroem o tecido e afectam o fluxo sanguíneo. À medida que o tecido morre, as bactérias entram no sangue e espalham-se pelo corpo [1],[2],[3].

 A bactéria não é transmitida pela comida. Ela vive no nosso organismo e é transmitida de pessoa-a-pessoa [4].  

  

A notícia não é credível porque:

  • Para começar, faz recurso à falácia do tipo Apelo à Emoção – neste caso, o medo. É típico nestes e-mails e, quando assim é, deve-se desconfiar. Qualquer informação deve basear-se em argumentos racionais e, de preferência, verificáveis;
    .
  • A causa da doença é atribuída a uma bactéria carnívora, mas não vem identificada qual a espécie. Mais uma razão para desconfiar: esse dado surgiria num texto informativo;
    .
  • Bactérias carnívoras não se alojam em plantas;
    .
  • Não se devem comer bananas durante 3 semanas? Porquê 3 semanas? É feita esta afirmação sem qualquer explicação;
    .
  • A FDA (Food and Drug Administration) é uma entidade Norte-Americana e não Sul-africana, pelo que não teria de emitir qualquer informação para países de outros continentes. Esses países possuem entidades competentes para o fazer;
    .
  • Admitindo que o que se pretende dizer é que a FDA não informava a população americana, induz noutro erro. Num caso destes, a FDA teria o dever de fazer o comunicado, senão seria responsabilizada;
    .
  • Na frase “eles secretamente admitiram (…)” funciona como alerta para notícia falsa porque:
    1. Normalmente tudo o que envolve segredos remete para teorias da conspiração, perdendo credibilidade;
    2. O que significa “admitir em segredo”? E então, é segredo governamental mas toda a gente já sabe por e-mail? É só a mim que isto parece ridículo? Mais uma vez é típico de teorias da conspiração;
  • 15.000 pessoas afectadas (…) são números aceitáveis” – isto dito de uma doença alegadamente grave só pode ser uma brincadeira de muito mau gosto;
    .
  • A doença tem cura através de antibiótico, pelo que se houvesse qualquer tipo de contaminação, as pessoas seriam tratadas;
    .
  • Pedido para reencaminhar o e-mail – típico dos e-mails em cadeia;
    .
  • A União Agrícola de Kwazulu-Natal desmentiu o e-mail afirmando que a população de macacos está a crescer, e que o investigador Dr. John Robinson não tem conhecimento de nenhuma bactéria que esteja a infectar as bananas. Segundo o mesmo comunicado, 99% das bananas daquela região são consumidas localmente, pelo que não se entende a que se refere a exportação [5];
    .
  • Este é um e-mail que anda a circular pelo menos desde o ano 2000 [6], mas curiosamente o país onde a doença é localizada fica na Costa Rica [7]. Essa localização permanece quando o e-mail volta a surgir em 2005, e só muda para a África do Sul num e-mail de 2011 [8];
    .
  • Em Portugal, foi noticiado pelo jornal i, no dia7 de Dezembro de 2011 [9]. Eu recebi o e-mail no final de Fevereiro de 2012, portanto quase 3 meses, o que teria sido tempo suficiente para serem observados casos, mas nada aconteceu. Obviamente.
    .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

%d bloggers like this: