Votação para o Prémio Unicórnio Voador 2014

O Unicórnio Voador. Crédito: Cláudia Barrocas

O Unicórnio Voador. Crédito: Cláudia Barrocas

Está aberta a votação nos nomeados que foram apurados na primeira fase do Prémio Unicórnio Voador 2014. Os leitores podem agora votar nos nomeados de cada categoria até ao dia 30 de Março e os vencedores serão revelados no dia 1 de Abril.

Ora diziam os astrólogos chineses que o ano de 2014 iria ser propenso a conflitos, e não é que tinham razão? O aquecimento global é para uns uma invenção esquerdista, enquanto para outros, uma “maquinação capitalista”. O único ponto de acordo parece ser que todos têm de dar o seu bitaite e todos sabem mais do assunto do que quem estuda a matéria. A própria Alexandra Solnado poderia ter contribuído para a discussão com as memórias da sua vida passada durante a última Idade do Gelo, contudo, a palestra que iria dar na Assembleia da República, nas Jornadas da Saúde, foi cancelada à última da hora – dizem as más línguas que tudo se deveu a um raro rasgo de bom senso, não sendo de descartar no entanto uma súbita crise de herpes digital. Em 2014 aprendemos também que os aviões têm signos astrológicos, mas se isso influencia ou não os rastos deixados no céu é algo que é melhor perguntar ao Nuno Markl. Por fim, quase tantos quantos os novos surtos de sarampo, foram os receios sobre a vacinação do presidente da Associação Médica Portuguesa de Homeopatia e, se por acaso a união de títulos lhe causar admiração, não se esqueça, o ano do cavalo foi o ano dos conflitos.

Segue-se então a apresentação dos nomeados e que ganhem os melhores dos piores.

Grafonola

SIC

O programa de tarot da SIC, “A Vida nas Cartas – O Dilema”, é daqueles nomeados que marca presença desde o início deste prémio. A SIC não só não tem qualquer “dilema” em continuar a oferecer, de forma leviana, conselhos de vida e de saúde com base numa pseudociência mística, como parece achar que isso ainda não é suficiente: a apresentadora, Maria Helena, oferece agora também amuletos e feitiços contra o mau-olhado ou, para utilizar o termo técnico-esotérico correcto, o “olho gordo”. É melhor que o nosso unicórnio tenha cuidado pois a SIC já só conseguirá inovar nesta área com sacrifícios de animais em directo.

RTP1

Em Março do ano passado, a RTP1 decidiu criar durante cinco dias um espaço no Telejornal dedicado à pseudociência a que chamou “Acreditar”. Uma autêntica vitrina em horário nobre para, entre outras coisas, diagnósticos médicos por medição de palmos de roupa, curas para o cancro com raízes e previsões da data da morte pela “física quântica”. Ao todo, foram 34 minutos e 39 segundos de publicidade a produtos e serviços milagrosos que não foram acompanhados de qualquer análise crítica. Será isto serviço público?

Jornal Avante!

Dizem que a História é escrita pelos vencedores, mas quando os vencidos resolvem reescrevê-la, será que fazem melhor? No seguimento das comemorações dos 25 anos da queda do muro de Berlim, o jornal Avante! publicou um artigo no qual se faz uma interpretação alternativa do que foi o muro de Berlim e do que levou à sua construção e queda. O muro, segundo o artigo, era afinal uma estrutura defensiva contra a opressão ocidental, e não uma barreira para impedir a fuga dos cidadãos da RDA. A ideologia política, seja ela qual for, não pode servir de desculpa para a negação e adulteração de factos históricos tão bem documentados.


Estrela Cadente

Paulo Futre

Paulo Futre já tinha sido nomeado para o Prémio Unicórnio Voador 2012 por emprestar a imagem a um aparelho de ginástica que fazia “vibrantes” alegações. Agora convida-nos a sair do banco para experimentar um suplemento alimentar que alega ser um estimulante da líbido e da performance sexual. Estranhamente, ou não, sendo o assunto suplementos alimentares, ao fazer uma pesquisa na base de dados de alegações de saúde permitidas pela Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA), não é possível encontrar nenhum dos ingredientes listados. Talvez seja por ser “formulado com base na mais recente investigação na área dos estimulantes sexuais”, obviamente, a EFSA tem dificuldade em manter-se a par de uma investigação tão revolucionária.

Maya

A vida da taróloga Maya sofreu várias mudanças: não só se mudou da SIC para a CMTV, como também se formou na inovadora área das consultas de tele-oncologia e biópsias à la minuta. O que permanece igual é a completa falta de noção da gravidade de oferecer diagnósticos médicos, especialmente sobre cancro, com base no tarot. Desta vez, perante um telefonema de uma senhora que estava preocupada com a filha que tinha um nódulo na tiróide, a Maya fez um check-up astral completo para chegar à conclusão seguríssima de que não se tratava de cancro. Melhor só mesmo o Doutor House.

Gustavo Santos

Esperar é a coisa mais ridícula que um ser humano pode fazer, a não ser que o objectivo seja ganhar o Prémio Unicórnio Voador. Mas esperar não quer dizer aguardar, esperar vem na verdade de “espe-r-ar”, que quer dizer “espetar” ou “atirar” postas de pescada ao “ar”, uma habilidade essencial para entrar no negócio da auto-ajuda e do coaching. Segundo o próprio Gustavo Santos, a ideia de começar a escrever livros teve origem nas mulheres que lhe diziam “tu és muita bom”. Já o que lhe terá dado a ideia de culpabilizar as vítimas de violação, violência doméstica e ataques terroristas é algo que permanece por esclarecer. O Gustavo está aqui e o Unicórnio Voador está ali, mas juntá-los é algo que depende apenas de si.


O Rei Vai Nu

Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa

A Faculdade de Farmácia parece ter decidido aproveitar a lei das terapias não-convencionais para lançar um “curso avançado em medicamentos homeopáticos”. Não sabemos a diferença entre o curso avançado e o curso básico, mas gostaríamos de imaginar que, no avançado, os farmacêuticos são recomendados a não dispensar qualquer medicamento homeopático sem antes explicar que são só água e açúcar. De resto, este é um resultado que já era previsível. A lei é usada como um argumento de autoridade sobre a validade das terapias regulamentadas e, simultaneamente, como fundamento para a abertura de cursos em universidades que precisam de gerar receitas. E assim se cria um segundo argumento de autoridade, que é o da existência de cursos em universidades reconhecidas. Tudo isto, é bom relembrar, suportado por uma decisão política e não pelo consenso científico do assunto.

Marta Guerreiro

Diz que ouve telepaticamente o que os bichos lhe dizem, à excepção da Mia, a gata do jornalista Luís Ribeiro, que não parece ter muito jeito para estas coisas. Marta Guerreiro desistiu da medicina veterinária para se dedicar à carreira de médium de donos de animais, quer dizer, de animais que gostam de falar da vida dos donos. Já com um livro publicado e um negócio de consultas presenciais e por e-mail, Marta parece ter encontrado um dom que a preenche espiritual e financeiramente. Mas uma questão permanece: será que ela consegue ouvir o que vai na cabeça do Unicórnio Voador?

Joe Dispenza

A visita a Portugal fez com que o guru da auto-ajuda ganhasse muito mais do que 450 euros por cada pessoa em busca de iluminação, Joe Dispenza ganhou também a honra de poder ser nomeado para o Prémio Unicórnio Voador. Famoso após a aparição no documentário pseudocientífico What the Bleep do We Know?, Dispenza apresentou-se em Portugal como “um dos neurocientistas mais conhecidos do mundo”, um feito notável para alguém que nem sequer tem artigos científicos publicados na área. Mais notável ainda foi a mobilização de neurocientistas portugueses que, em resposta à visita de Dispenza, quiseram alertar a população para o problema da pseudociência.


Trackbacks & Pings

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

%d bloggers like this: