Cuidado com estes três produtos “naturais”

O Infarmed lançou recentemente um alerta relativamente a três produtos com substâncias ilegais. Pelos comunicados do Infarmed, ou pela cobertura na comunicação social, seria fácil concluir que se trata de um caso de medicamentos falsificados – um problema comum para quem arrisca comprar medicamentos em farmácias online sem qualquer controlo. Contudo, uma pesquisa na internet revela que, na verdade, estes produtos não estão a ser promovidos como medicamentos, mas antes como produtos naturais ou suplementos alimentares.

A história é sempre a mesma: produtos milagrosos que produzem alegações de saúde sem suporte científico e que tentam explorar comercialmente o mito de que os produtos naturais são inofensivos. Ao contrário do que acontece com os medicamentos, o consumidor assume que, mesmo que o produto não faça nada, pelo menos não representará um perigo. Mas esta é uma ideia errada. O facto de uma substância ser natural não nos indica nada acerca da sua segurança. Existem vários venenos de origem natural e algumas substâncias podem ser simultaneamente benéficas ou tóxicas dependendo da dose. Adicionalmente, muitos produtos “milagrosos” assumem a forma de produtos naturais ou de suplementos, numa tentativa de se aproveitarem de uma regulação mais permissiva do que a dos medicamentos.

Existem produtos contaminados com metais pesados ou espécies vegetais mal identificadas e outros que nem sequer são naturais, como é anunciado no rótulo. É o que acontece com produtos que foram adulterados com medicamentos. Curiosamente, a motivação, nestes casos, parece ser a de cumprir realmente as alegações de saúde. Mas isto representa um problema porque estamos a falar de medicamentos que geralmente não devem ser tomados sem supervisão médica ou que foram removidos do mercado no seguimento de estudos que indicavam um risco superior aos benefícios.

Embalagem do P57 Hoodia. Fonte: FDA

Embalagem do P57 Hoodia. Fonte: FDA

Dois dos produtos agora identificados pelo Infarmed destinam-se à perda de peso. O P57 Hoodia apresenta-se como um produto “100% vegetal e seguro” à base de extractos naturais de cacto. Já o Li Da – Daidaihua é promovido em alguns sites como uma “antiga receita milenar chinesa” sendo “composto por delicados e limpos extratos de Daidaihua e outras plantas exclusivas”. Na realidade, ambos os produtos foram adulterados com sibutramina, um medicamento desenvolvido para suprimir o apetite mas que foi proibido depois de ter sido associado a um risco acrescido de problemas cardiovasculares. A sibutramina parece mesmo ser um ingrediente popular em vários produtos de emagrecimento supostamente naturais, tendo sido detectados vários casos de adulteração com esta substância ao longo dos anos. O terceiro produto é o Men’s Coffee, um estimulante sexual masculino alegadamente feito à base de grãos de café, mas que contém também sildenafil, o ingrediente activo do famoso Viagra.

Escusado será dizer que comprar medicamentos fora das farmácias tradicionais é um risco que não compensa. Relativamente aos produtos naturais, os conselhos são os mesmos que já aqui deixámos por diversas vezes, mas vale sempre a pena relembrar:

  • Desconfie de produtos que aleguem que são isentos de risco porque são naturais. Isto não passa de um truque de marketing sem qualquer fundamento;
  • Não esconda do seu médico os produtos naturais que toma. Alguns destes produtos podem provocar efeitos secundários e até interagir com medicamentos, atenuando ou potenciando o seu efeito farmacológico;
  • Desconfie de promessas milagrosas e de soluções fáceis. Pode consultar o nosso guia Banha da Cobra – Os Sinais” para mais informação.

Os alertas do Infarmed:

Alerta do Infarmed sobre o P57 Hoodia

Alerta do Infarmed sobre o Li Da – Daidaihua

Alerta do Infarmed sobre o Men’s Coffee

Marco Filipe

Licenciado em Genética e Biotecnologia e mestre em Biotecnologia para as Ciências da Saúde. É colaborador da COMCEPT desde o início e o repórter n.º1 da PetaNews – a melhor agência de jornalismo alternativo e complementar do Universo.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

%d bloggers like this: