Março: a COMCEPT no mês da Pandemia

Para quem nos segue apenas através deste nosso website, pode ter ficado com a falsa sensação de que a nossa actividade diminuiu. A verdade é que estes tempos que vivemos, relacionados com a pandemia do novo coronavírus, levaram a que tivéssemos mantido uma presença mais activa nas redes sociais.

Assim, aproveitamos para sintetizar aqui a nossa actividade do último mês, que foi maioritariamente online. Promovemos o combate a rumores e fraudes, realizámos um encontro público de esclarecimento sobre a epidemia, divulgámos páginas com informação fidedigna, sensibilizámos os nossos leitores a participarem em estudos académicos e fomos fazendo actualizações importantes com base em fontes oficiais.

Iniciativas da COMCEPT:

O mês de Março começou e terminou com iniciativas promovidas pela nossa associação.

No dia 7 organizámos a tertúlia Cépticos Com Vox, no espaço cultural Cossoul, tendo como convidado Ricardo Mexia, presidente da Associação Nacional dos Médicos de Saúde Pública (ANMSP) para fazer um ponto da situação relativamente ao novo coronavírus SARS-CoV-2.

O final do mês foi dedicado à votação dos candidatos ao prémio satírico Unicórnio Voador 2019. Esta é uma iniciativa que conta com a participação dos nossos leitores no momento das nomeações e das votações. Os resultados foram dados a conhecer, como é hábito, a 1 de Abril.

Combate a rumores e fraudes:

No ano passado afirmei, na minha apresentação da TEDxPorto, que numa altura em que se dissemina a desinformação há a necessidade de fazer verificação de factos (fact-checking). Por isso, é com satisfação que vejo a plataforma Polígrafo a fazer um importante trabalho em tempos de pandemia causada pelo novo coronavírus. Desde o início do ano que tinham sido identificadas 24 notícias falsas pelo Polígrafo, na altura em que partilhámos a informação. Entretanto esse número já aumentou, tendo sido necessário criar uma secção própria para este tema, como pode ser consultado aqui.
Na sequência desse trabalho, a mesma plataforma partilhou dicas sobre como identificar a desinformação que chega até nós através da internet ou das redes sociais.

A desinformação também afectou outros temas:
um documento supostamente oficial do governo sobre o Estado de Emergência posto a circular era falso, conforme denunciado pela página Os Truques da Imprensa Portuguesa; Comunicados da Polícia que eram falsos ; e notícias que afectavam a plataforma de streaming Netflix igualmente falsas.

Dar voz aos especialistas:

Os primeiros tempos de COVID-19 levantaram questões e dúvidas sobre o que estava em causa, sendo por isso compreensível que os jornalistas procurassem obter informações. O que não é aceitável é que essas perguntas sejam colocadas a profissionais que não são da área. Quem esteve bem foi o treinador de futebol Jurgen Klopp que, quando questionado sobre o novo coronavírus e a epidemia, respondeu: “Não sou especialista, porque me perguntam isso?”

Por essa razão, ao longo do mês partilhámos textos de cientistas:

David Marçal, num texto do Público, reflecte sobre as consequências das medidas tomadas para debelar a pandemia do novo coronavírus. Todo o debate em torno da epidemia tem levado a que alguns conceitos e termos técnicos estejam a ser assimilados pela população. Mas será esta uma oportunidade para que mais cidadãos percebam a ineficácia das medicinas alternativas e para abandonarem o movimento antivax?

A equipa do Evidentia Medica publicou um número especial da sua newsletter dedicado ao novo coronavírus, com recursos, artigos-chave, vídeos, podcast e material para informação à população (aqui).

Manuel Carmo Gomes, professor de Epidemiologia, publicou um texto no Público sobre factos, respostas e previsões relacionados com novo coronavírus.

Ricardo Mexia, presidente da Associação Nacional dos Médicos de Saúde Pública (ANMSP), foi entrevistado no podcast 45 graus.

Num ponto de vista mais político, mas com interesse para os cidadãos, no dia em que Portugal entrou na fase de mitigação da pandemia COVID-19, partilhámos uma notícia do Público com as informações essenciais sobre o que está em causa com essa alteração e o que iria mudar.

Informação institucional:

Para que os cidadãos estejam correctamente informados, é importante procurarem informação em fontes oficiais. Por isso fomos partilhando essa informação com os nossos leitores:

O website da ANMSP desenvolveu o mapa epidemiológico de Portugal com informações diárias sobre a evolução da COVID-19 no nosso país, podendo ser consultado por qualquer cidadão. O site foi criado através de um projeto colaborativo e independente, com recurso a dados obtidos de fontes fidedignas como a DGS, Ministério da Saúde, Público e Expresso.

Partilhámos a seguinte informação de órgãos oficiais do governo: o Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) criara uma linha de emergência para apoiar situações de viajantes com dificuldade a regressar a Portugal; informação sobre como obter o documento da Segurança Social para ficar a cuidar dos menores de 12 anos, sem ser necessária a deslocação aos centros de saúde; foi criado um jogo (STOP Contágio) desenvolvido pela Direção-Geral da Saúde para que de modo simples e acessível todos compreendam as causas, consequências e soluções de combate à pandemia COVID-19; foi desenvolvido pelo governo, em colaboração com a equipa do VOST Portugal, o website estamoson para que os cidadãos estejam a par de todas as medidas oficiais que estão a ser tomadas em Portugal.

Partilhámos ainda as regras básicas para ir à Farmácia em tempo de pandemia.

Estudos académicos:

A COMCEPT tem colaborado com o meio académico e estes tempos excepcionais exigem que essa colaboração seja reforçada, uma vez que defendemos que as medidas tomadas sejam baseadas no melhor conhecimento disponível. Por isso divulgámos pedidos de colaboração com estudos a serem realizados por universidades, como os seguintes:

Estudo de Desinformação e Pânico”, desenvolvido pelo MediaLab Iscte-IUL e o DN, destinado a quem recebeu mensagens estranhas sobre o COVID-19 no WhatsApp, cujos resultados foram posteriormente publicados sob a forma de relatório;

Investigação sobre a pandemia de COVID-19 em Portugal, num pedido de colaboração da Escola Nacional de Saúde Pública da UNL;

Porque o isolamento físico também traz consequências à saúde mental, partilhámos este apelo à participação num estudo do ICVS da Escola de Medicina da Universidade do Minho, que tem como objectivo compreender a forma como a pandemia COVID-19 influencia a saúde mental da população adulta geral ao longo do tempo em Portugal e em Espanha. (aqui)

Televisão e Livros:

Com o humor também se aprende. Exemplo disso são dois programas que partilhámos, um nacional e outro internacional.

Ricardo Araújo Pereira, apresentador do programa “Isto é gozar com quem trabalha”, mostrou uma compilação de videntes e astrólogos a fazerem previsões para 2020, todas elas positivas, sem terem conseguido prever a epidemia e suas consequências. A conclusão a tirar é óbvia.

John Oliver, apresentador do Last Week Tonight with John Oliver, dedicou um episódio ao novo coronavirus. Este programa, de forma geral faz um trabalho muito competente de explicar temas complexos de uma forma clara, divertida e com base científica.

O TEDxPorto, no dia do Livro Português, apresentou sugestões de livros publicados pelos oradores e elementos da equipa do TEDxPorto, para ocupar o tempo em isolamento social. Alguns desses autores são membros da COMCEPT.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: