Conversas da Alma – um novo canal de desinformação

As noites das últimas semanas foram passadas a assistir a vários episódios de Conversas da Alma, um canal de YouTube da autoria do bailarino César Augusto Moniz onde partilha entrevistas e conversas em directo. O programa aborda temas de terapias alternativas, conselhos de saúde, sociedade e tudo misturado com muitas teorias da conspiração. O episódio Os meus segredos para me proteger do Covid-19 é exemplificativo da descrição que fiz. Vamos fazer uma análise desse episódio e alguma verificação de factos.

Este episódio está dividido em duas partes: a primeira é uma conversa com os espectadores onde sobressaem os “conselhos de saúde”; a segunda é a resposta às perguntas feitas pelo público onde se destacam as mais variadas teorias da conspiração. Vale a pena ler este texto até ao fim, porque César Augusto Moniz conseguiu reunir num só vídeo temas tão díspares como saúde, 5G, COVID-19, Illuminati, vacinas, nanotecnologia, chemtrails, anjos e extraterrestres.

Nota: o texto não segue a ordem da entrevista. Preferi organizar por temas.

Limpar o corpo de toxinas

César Augusto Moniz parece obcecado com “toxinas”, e outras substâncias que alegadamente chegam do exterior, e a consequente necessidade de se purificar. Tanto assim é que descreve os seus longos rituais de purificação, que começam com a meditação e limpeza energética e vão até à ingestão de águas especiais e suplementos. Não tenho nada contra a meditação, mas a maneira como a descreve revela grande desconhecimento de como o corpo humano funciona, como quando diz que durante a meditação “visualiza todas as toxinas no corpo e no ADN a saírem para o centro do Universo”. Tanta coisa errada apenas nesta frase. Para começar, a palavra “toxina” tem um significado próprio, sendo uma substância venenosa produzida por um organismo vivo; o que faz com que uma pessoa com toxinas no seu organismo, ou intoxicada, necessite de cuidados médicos. Contudo, César Augusto apoia-se numa outra definição promovida por terapeutas alternativos, que se apropriaram da palavra com significado biológico, para se referir a tudo o que sejam impurezas ou agentes externos, normalmente de origem artificial ou sintética. Acrescenta-se a isto que as toxinas não são eliminadas por meditação, nem vão para o centro do Universo.

César Augusto afirma ainda que a meditação limpa o corpo energético e alinha os meridianos. Cientificamente não há evidências de “energias” a circularem no corpo, nem de meridianos.

Vitamina D e o coronavírus

Mencionou a notícia de que doentes com COVID-19 tinham baixos níveis de vitamina D, deixando implícito que essa era a causa ou propensão para desenvolver a doença, aproveitando para recomendar o consumo dessa vitamina. Sobre este ponto importa esclarecer que a notícia informava que haveria uma correlação entre a doença e baixos níveis de vitamina D, mas, como sabemos, correlação não significa causalidade. Além disso, um estudo recente parece deitar essa ideia por terra.

Dieta do tipo de sangue

César Augusto defende a Dieta do Tipo de Sangue, mais uma dieta da moda para a qual não há evidência de resultados, nem apresenta um mecanismo plausível para os seus argumentos, como explica este texto da Harvard Medical School.

Limpar o corpo da radiação

Uma outra preocupação recorrente de César Augusto Moniz é com a radiação electromagnética, que frequentemente associa às toxinas. Diz ele que ingere água alcalina, “para combater a toxicidade e os efeitos nocivos da radiação electromagnética no nosso corpo”, uma vez que a radiação tornaria o pH do sangue ácido. A alcalinização da água seria obtida através de uma máquina japonesa que adiciona hidrogénio para minimizar os efeitos dessa radiação. Uma vez mais, tanta coisa errada nestas frases. A radiação electromagnética não acidifica o sangue, a água alcalina não altera o pH do sangue nem do organismo (uma afirmação feita várias vezes neste episódio), nem há evidências que melhore a saúde, e a água hidrogenada não elimina toxinas, nem muito menos os alegados efeitos nocivos das radiações electromagnéticas que refere.

Segundo ele, não é só a água alcalina que é benéfica para a saúde, principalmente se for energizada com uma flor da vida – que mais não é do que uma base para copos. Também alimentos como a spirulina (uma alga) e o alho seriam úteis para eliminar os efeitos nocivos da radiação electromagnética (e informa-nos da existência de receitas de batidos para obter esse efeito).

A propósito deste tema, importa referir que nem todas as radiações electromagnéticas são prejudiciais. Essas radiações são muito variadas, encontrando-se num espectro que varia ao longo da frequência. Considera-se nociva apenas a radiação ionizante (frequência idêntica a parte da radiação UV e superior) por conseguir penetrar as células e, por conseguinte, danificar o ADN, originando mutações. Não há evidência convincente que radiação electromagnética no campo dos micro-ondas, infravermelhos, ou luz visível seja prejudicial.

5G e o coronavírus

Ainda no campo da radiação electromagnética, alimentou a teoria da conspiração que associa a tecnologia 5G ao enfraquecimento do sistema imunitário, o que teria contribuído para que as pessoas contraíssem COVID-19. Para isto ser verdade, as pessoas ficariam doentes onde houvesse tecnologia 5G. Acontece que esta é uma tecnologia recente e que ainda não está globalmente difundida, ao contrário da doença que se espalhou pelos cinco continentes. Mais uma ideia sem fundamento que cai por terra.

Mais à frente, promove outra teoria da conspiração: a de que o novo coronavírus fora criado em laboratório. E o que apresenta como provas? “Vários vídeos na internet”. Escusado será dizer que vídeos no YouTube não servem de prova numa discussão porque podem ser descontextualizados, truncados ou manipulados, mas principalmente porque não são considerados uma fonte credível e objectiva.

Mas César Augusto vai mais longe e tenta justificar-se com um vídeo que viu no YouTube, em que a polícia já prendera um professor de Harvard, Charles Lieber, por roubar o vírus de um laboratório americano para levar para a China, com a finalidade de criar uma arma biológica. O vídeo a que se refere é este, que nada diz sobre a sua ligação ao coronavírus, porque não há nenhuma ligação. Essa notícia já foi abordada por várias plataformas de verificação de factos (fact-checking) como o Observador, o Polígrafo ou o FactCheck.org. Na realidade, Lieber foi preso por prestar falsas declarações às entidades americanas e por não ter declarado o pagamento que alegadamente recebera do governo chinês para montar um laboratório em Wuhan (ao mesmo tempo usufruía de bolsas do governo americano).

Mas César rapidamente esquece-se desta explicação do vírus como arma biológica porque, mais à frente, dirá que o coronavírus faz parte de um plano divino para o ser-humano deixar de poluir, parar e estar mais tempo com a família. Diz que esta pandemia irá trazer mudanças, mas como se está a basear em informações privilegiadas a que só ele tem acesso, não pode partilhar o que irá acontecer. Fazer uma afirmação e não apresentar provas, nem identificar a fonte, tira força à argumentação e credibilidade ao emissor.

Ainda mais teorias da conspiração

As teorias da conspiração não ficam por aí. Segundo ele, “a crise estava planeada há anos” pelos poderosos, caindo num dos erros de raciocínio que levam ao pensamento conspiracionista: a troca da consequência pela causa. É sabido que as crises económicas são cíclicas e que aqueles mais bem preparados financeiramente serão os que mais vão lucrar com as crises. Ou seja, a causa da crise não são os poderosos. A causa é a pandemia, que tem como consequência o lucro obtido pelos poderosos, por terem uma maior almofada financeira.

Mas para César Augusto, a pandemia não é só uma oportunidade para fazer dinheiro, como também a desculpa perfeita para colocarem chips nas pessoas. Como? Através das vacinas, que para além de servirem para colocarem chips, causam doenças e são perigosas para as crianças, motivos pelos quais devem ser combatidas. E quem é que ele acha que está por detrás disto? O Bill Gates. Porquê? Por causa dos vídeos que viu na internet. Ou seja, temos mais um promotor do movimento anti-vacinação.

Ainda houve tempo para falar dos Illuminati, da HAARP e dos Chemtrails. Para quem não sabe do que isto se trata, já esclarecemos aqui e aqui.

Os extraterrestres que estão entre nós

Quando questionado sobre se os Extraterrestres (ETs) existem, ele responde que sim, que não tem dúvidas nenhumas. Diz que não tem provas, mas tem uma experiência pessoal. Diz também que esteve com investigadores ligados à NASA que lhe mostraram que havia muita coisa ligada aos ETs.

César Augusto aproveita o tópico para discorrer sobre a taxonomia alienígena: segundo ele, existe uma diferença entre Aliens e ETs, em que os Aliens vivem fora do planeta e os ETs estão a viver na Terra; que existem ETs Greys (os cinzentos) que nos visitam para aprenderem com as nossas emoções; que também há raças Reptilianas na Terra que fomentam a guerra e o controlo; e diz saber que existem alienígenas em Marte e em Júpiter. Para quem se interessa sobre este tema, ou tem dúvidas, recomendo a leitura do livro de Carl Sagan, Um mundo infestado de demónios, editado pela Gradiva.

Explicou que os ETs não se mostram porque nós temos livre-arbítrio, o que não lhes permite interferir na forma como nós vivemos. Os ETs, apesar de mais evoluídos, não nos avisaram da pandemia por dois motivos: por um lado por causa do já referido livre-arbítrio, por outro lado porque “temos de passar por isto, porque se o ser-humano não sofre, não aprende”. Quanto a mim, não me parece muito evoluído ensinar com base no sofrimento, parece-me sádico e desumano.

Outra das contradições: apesar da regra do livre-arbítrio, tudo o que é nuclear é controlado por ETs, porque uma explosão nuclear iria afectar todas as dimensões do nosso plano. Segundo o apresentador, nessas várias dimensões habitam anjos, deuses, espíritos e extraterrestres. Esses anjos podem ser contactados por médiuns, como uma que ele conheceu no Reino Unido.

Conclusão

César Augusto Moniz afirma ter interesse pela ciência – quando era novo esteve para seguir o curso de Química – e procura aplicar o método científico às suas experiências espirituais. Pelos vistos sem grande sucesso. Também diz que conversa com os seus amigos que são cientistas e médicos sobre estes temas, mas das duas, uma: ou estes não o conseguem esclarecer ou têm dado maus conselhos.

Conversas da Alma é um canal que tem propagado desinformação, teorias da conspiração e o movimento anti-vacinação.

Nota final: o João Cerqueira também se tem debruçado sobre este canal, tendo publicado recentemente um texto na página do Facebook do SciMed.

3 Responstas a “Conversas da Alma – um novo canal de desinformação

  • sugestão: criar uma lista de canais de desinformação

  • Afirma que ‘Fazer uma afirmação e não apresentar provas, nem identificar a fonte, tira força à argumentação e credibilidade ao emissor’ … mas faz maioritariamente o mesmo. A não aceitar a opinião dos outros e não acreditar é uma coisa, mas a difamar o César da maneira como o faz e deixar que fique com uma imagem de ‘lunatico’ é outra … que mostra bem a qualidade humana do autor deste artigo.

    • Boa tarde Werner. Obrigado pelo seu comentário. Como poderá ver pelo texto que escrevi, em nenhum momento fiz uma apreciação sobre o apresentador, tendo-me limitado a focar nas suas alegações que demonstrei serem erradas (sobre saúde) ou improváveis (sobre ETs e anjos). Abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: