Verdades alternativas vindas de outro planeta – Um desafio de Edzard Ernst

Edzard Ernst lança um desafio de imaginação aos seus leitores

Quando se deparam  com uma nova (ou até aí desconhecida) “terapia alternativa”, já alguma vez acharam que a realidade supera a ficção?

Se são cépticos e defensores da ciência, com certeza que sim.

Edzard Ernst, também.

Na sexta-feira, a frustração deu lugar à imaginação e ele lançou um desafio aos seus leitores!

.

Edzard Ernst
Edzard Ernst numa palestra em Manchester (Crédito: Luis García Castro – Flickr)

Explica ele:

No outro dia, acordei e achei que este blog talvez estivesse a precisar de um bocadinho de diversão interactiva. Todas estas longas discussões sobre evidências, alegações e contra-alegações científicas são importantes, mas também podem ser enfadonhas. Muitas vezes, a qualidade da evidência, a audácia das alegações da treta e a idiotice das discussões são tais que, de forma espontânea, nem sei se ria ou se chore. Contudo, ao reflectir sobre o assunto, achei que seria melhor rir e brincar um pouco. Portanto, decidi criar esta nova rubrica e, com a ajuda dos meus leitores, talvez até se transforme numa distracção regular.

A única coisa em que pode errar nas “VERDADES ALTERNATIVAS VINDAS DE OUTRO PLANETA” é levá-las a sério. Nada do que tenciono aqui publicar tem muito a ver com a realidade (tal como a medicina alternativa, poderá dizer).

.

Edzard Ernst desafia-nos então a criar relatos sobre novas descobertas do “mundo alternativo”, e deixou-nos já alguns exemplos, tanto de autoria própria, como de leitores que já contribuíram.
E nós lançamos também aqui o desafio aos nossos membros e leitores!

Enviem as vossas ideias ao Prof. Ernst ou, caso não queiram escrever em inglês, deixem-nas aqui nos comentários e nós fazemos a tradução. 😉

Como inspiração, aqui fica uma “Verdade alternativa vinda de outro planeta” do próprio:

“TERAPEUTA ALTERNATIVO CONSIDERADO CULPADO DE HOMICÍDIO”

O júri não teve que deliberar durante por mais que uma hora; o caso não poderia ser mais claro, apesar do acusado, Martin W., nunca ter admitido a culpa. No entanto, ele disse que não gostava da sogra e que a tinha ameaçado em numerosas ocasiões. O tribunal ouviu a explicação de que Martin W. tinha sido treinado como perito de Feng Shui e, depois de dominada a técnica de rearranjo de mobília com suficiente grau de sofisticação, ele tinha deliberadamente reposicionado várias peças de mobiliário no apartamento da sogra em Clapham. Como consequência, a sua energia chi tinha colidido violentamente com as dimensões do mais poderoso chi cósmico. Aparentemente, a sogra teve morte instantânea. Em sua defesa, Martin W. alegou que ele só tinha mexido no sofá e no espelho por motivos estéticos, mas o perito da acusação, presidente da ‘Associação Internacional de consultores de Feng Shui e Chi’ apresentou provas científicas que mostraram que a disposição da mobília era um caso clássico de morte por excesso de chi do rim. Espera-se que Martin W. receba uma pena de prisão perpétua.

.

Divirtam-se! 😉

.

Outros artigos
“Sem Limites” ou “Com Mazelas”?
João L. Monteiro
Cépticos no Museu… e Jardim
D. Barbosa
Nomeações para o Prémio Unicórnio Voador 2022
Comcept