O Prémio Unicórnio Voador – um prémio feliz para actuações infelizes – é concedido pela COMCEPT às personalidades ou entidades nacionais que, durante o ano anterior tenham contribuído para a disseminação da pseudociência, da superstição e da desinformação no geral em diferentes categorias.

 

Os vencedores este ano

Prémio Unicórnio Voador 2018

Chegou o dia: vocês votaram, vocês decidiram!

Em 2018 temos apenas três categorias:

  • O Rei Vai Nu – Para todos os que façam afirmações duvidosas e incríveis sem evidências ou contra elas.
  • Dom Quixote – Para a afirmação ou teoria mais alienada, para a recusa em encarar a realidade e para a defesa do indefensável.
  • Estrela cadente – Para as estrelas de televisão e do mundo artístico, desportivo ou social.

Depois das fases de nomeação e votação, já podemos anunciar os vencedores, neste fatídico dia 1 de Abril. E os vencedores são

O Rei Vai Nu
O Vencedor: Universidade do Porto
Em Setembro 2018 a Universidade do Porto acolheu uma conferência sobre alterações climáticas. Tudo estaria bem, não fosse o caso da maioria dos seus oradores serem negacionistas das alterações climáticas. Maria Assunção Araújo, geógrafa, professora catedrática da Universidade do Porto e organizadora do evento, considera que a comunidade científica perita em clima não sabe nada sobre o assunto e acha que tem todo o direito de organizar as conferências que quiser. É verdade: a geógrafa Maria Assunção Araújo poderia organizar uma conferência sobre a Terra Plana ou a Terra Oca em qualquer café ou ou mesmo em sua casa. Mas o que está em causa é a Universidade do Porto ter aceite acolher esta conferência sem antes ter avaliado o seu conteúdo científico.
Dom Quixote
O Vencedor: José Cruz
A 26 de Março de 2018, o programa Prós e Contras levou à discussão as vacinas, como se o assunto fosse como discutir a participação portuguesa na Eurovisão. Um dos convidados para discutir o assunto foi o “terapeuta de biomagnetismo” José Cruz que surgiu a repetir os habituais mitos e desinformações em torno das vacinas. Militante na sua campanha anti-vacinação, marcou presença pelo menos duas vezes neste programa. Não é a primeira vez que a RTP confirma o papel que os órgãos de comunicação social (televisões, jornais e rádios) têm assumido na disseminação da desinformação em torno das vacinas. Já o tinha feito em 2014 a propósito da reportagem “Pais optam por não vacinar os filhos”.
Estrela Cadente
O Vencedor: Luís Pedro Gonçalves
Deputado municipal no Seixal pelo PS, conhecido pela campanha “Não troquem os nossos bebés”. Este militante socialista tem vindo a denunciar que existe uma campanha orquestrada pelos Serviços de Informação dos sucessivos governos para trocar os bebés nas maternidades portuguesas. Provas disso? Não apresenta. Apoia-se apenas nas diferenças de aspecto entre progenitores e descendência para suporte das suas afirmações, rejeitando os mais elementares conhecimentos de genética que se aprendem na escola.

Ver outras edições