Como foi a ComceptCon 2013

No dia 9 de Novembro decorreu na Biblioteca Municipal da Nazaré, pelo segundo ano consecutivo, mais uma convenção céptica – a ComceptCon 2013. Este é o grande evento nacional que ocorre uma vez por ano e que tem sido bem acolhido pelo Município Nazareno. Porquê nesta cidade, poder-se-á perguntar? Porque é a opinião dos organizadores que os eventos culturais e de promoção de literacia científica sejam descentralizados da capital. A título de exemplo, as tertúlias (Cépticos com Vox) desenvolvem-se em Lisboa, Porto e Coimbra, a ComceptCon decorre na Nazaré e os nossos artigos podem ser lidos na revista Algarve Vivo.

Voltemos ao tema central, a ComceptCon 2013. Tal como no ano passado, tivemos três oradores de áreas científicas diferentes, sendo que desta vez contámos com a presença de Paulo Ribeiro Claro (Químico), Manuel Rosa Martins (Físico de Partículas) e António Vaz Carneiro (Médico).

O Paulo Ribeiro Claro falou do falso conflito entre produtos naturais e químicos. Digo falso conflito porque na realidade todos os produtos naturais também são químicos, isto é, têm químicos na sua constituição. Por isso é errado dizer que há produtos naturais livres de químicos – tal não passa de uma estratégia de marketing.

Paulo falou da transformação do ácido salicílico, um produto natural que se encontra no salgueiro e que é útil para as dores mas prejudicial ao estômago, em ácido acetilsalicílico, um produto sintético idêntico ao anterior mas sem os efeitos secundários e que é usado nas Aspirina, como exemplo de casos em que optamos pelos químicos em detrimento dos produtos naturais.

O orador partilhou ainda um acontecimento que teve lugar no Reino Unido, onde se usavam dois tipos de açúcar o refinado (branco cristalizado) e o não-refinado (conhecido como amarelo). A certa altura, tornou-se moda as pessoas pedirem açúcar amarelo, que por não estar refinado achavam ser mais natural. Acontece que este açúcar em pó tinha tendência a formar grumos, pelo que não era vantajoso servi-lo em cafés ou restaurantes. A estratégia passou por recorrer a açúcar branco cristalizado e adicionar-lhe corante amarelo. As pessoas ficaram satisfeitas porque estavam a consumir açúcar amarelo, que associavam a algo natural, sem perceberem que era açúcar refinado.

Palestra de Paulo Ribeiro Claro (Químico)

Palestra de Paulo Ribeiro Claro (Químico)

.

O Manuel Rosa Martins começou por explicar o seu trabalho, e as aplicações da Física no nosso dia-a-dia, desde a exploração espacial até à tecnologia usada na medicina. Beneficiando da oportunidade de estar a falar da área da saúde, aproveitou para alertar para o facto de haver pessoas a prometerem falsas curas com base em terapias alternativas não comprovadas cientificamente. Chegou mesmo a pedir as autoridades estivessem atentas a este tipo de alegações. Após esta intervenção crítica que teve repercussão nos media nacionais, a sua palestra terminou com uma homenagem aos pescadores da Nazaré, partilhando com eles e com a restante audiência, a fórmula matemática que descreve a velocidade do surfista no topo da onda.

Palestra de Manuel Rosa Martins (Físico)

Palestra de Manuel Rosa Martins (Físico)

.

O médico António Vaz Carneiro deu vários exemplos de como a iliteracia numérica e científica tem implicações no modo como os pacientes compreendem os aconselhamentos dados pelos especialistas médicos. Aproveitou ainda para dar a conhecer alguns resultados de estudos de revisão (meta-análises) relacionados com terapias, tratamentos e efeitos placebo.

Palestra de António Vaz Carneiro (Médico)

Palestra de António Vaz Carneiro (Médico)

.

No final, o momento de encerramento esteve a cargo do Cláudio Tereso, que pretendeu demonstrar como a nossa percepção da realidade é facilmente enganada. Passou um vídeo em que evidenciou que ao focarmo-nos apenas num dado acontecimento, à nossa volta há uma grande quantidade de informação relevante que nos passa ao lado. Esta é uma das razões pelas quais falarmos ao telemóvel tem os seus riscos, perdemos parte da informação relevante que nos rodeia e que nos permitiria evitar acidentes. Ainda houve tempo para um truque de ilusionismo e sua explicação.

E assim se passou mais uma encontro céptico dirigido não só a outros cépticos como nós, mas a todos os que a nós se queiram juntar. Contamos com vocês no próximo ano.

Para os que não puderam estar presentes ou, simplesmente, para quem deseja rever os melhores momentos, os vídeos da convenção encontram-se disponíveis no YouTube.

 

 

 

 

.

Agradecimentos:

Os nossos agradecimentos à Câmara Municipal da Nazaré, à Biblioteca Municipal e aos seus técnicos pela vontade e disponibilidade total com que acolheram uma vez mais o nosso evento. Também agradecer aos parceiros institucionais que apoiaram e patrocinaram esta iniciativa. Um obrigado ao Cláudio Tereso, nosso colaborador, e elemento essencial na organização deste evento. Estamos imensamente gratos aos três oradores por terem aceite o nosso convite. Em último lugar, mas não menos importante, agradecemos a toda a plateia que se deslocou de vários pontos do país para marcarem presença – obrigado, este evento é para vocês.

apoios.

Trackbacks & Pings

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

%d bloggers like this: